Satan the Accuser

Friday, May 22, 2015

Os Amorais by Adriana Janaina Poeta


Image - Destino, Salvador Dali

Os Amorais

Os amorais são pessoas estranhas...
Vivem entre a multidão
como erva daninha,
espinho que não protege
mas existe para ser descoberto,
percebido e revelado,
como algo que se oculta
apenas a olhos não treinados.

Os amorais são pessoas também comuns,
não apenas encontrados nas esferas de poder,
mas certamente convivendo entre eles,
porque dinheiro e poder,
são seus vícios e os subterfúgios
por onde enveredam vida afora,
enquanto corrompem, articulam,
desviam, atrasam,
na sanha insana de beber a taça almejada,
ou seja, a maldade pura
e a inveja ardente misturadas.

Entenda, os amorais tem a alma vazia,
os laços de afeto e o sentido de justiça
e verdade, são preteridos
em detrimento do que há de mais vil.
Família, infância, amor verdadeiro,
propriedade alheia, decência,
direito do próximo, honra e dignidade,
não habitam sua esfera de valores e atributos.

Como seres alheios a moral e ao bem comum,
seja da família ou da sociedade,
são mais nocivos do que ratos,
já que estes últimos tem uma razão
na cadeia alimentar para existir.

Do que são feito os amorais?
Como surgem, de onde vem?...
Talvez surjam e se alimentem
da mão que dá ou da bolsa
que recebe a propina,
da troca de favores que prejudica a terceiros,
do olhar que amaldiçoa
enquanto a palavra é camuflada e distorcida,
sempre com o objetivo de enganar,
separar, corromper, destruir.

Os amorais sempre encontram,
um dia, o desafio para a sua escalada
de luxúria e maldade,
porque todo ser humano,
ainda que em níveis mais profundos,
conhece a força e o poder libertador e iluminado
da verdade, do que é justo e correto.
Este é o sentido grego,
e ainda mais antigo,
para esta Ordem Cósmica que permeia
todo o Universo,
do qual nenhum ser escapa.
Ouso dizer que nós intuímos e percebemos,
sentimos o seu cheiro.

Como tudo que se aprimora
para iludir e corromper,
causar enganos,
os amorais vestem sempre a capa do cordeiro,
nunca se apresentam como lobos.
Faz parte do seu circo particularmente engendrado ,
ter sempre a desculpa perfeita,
apesar das provas e fatos.

Assim, são aqueles que abusam da criança
e a acusam de mentir ou ter incitado,
os que roubam e alegam boas razões,
os que insistem nas mentiras,
persistem nas tramóias,
vestindo a capa do anjo,
embora os seus pés estejam sujos de lama,
os que fazem favores contrariando
leis e atrasando decisões,
a custo de mais prejuízos e riscos
para crianças indefesas,
apenas para tentar fazer
o que é errado parecer correto.

Os amorais detestam quem lhes opõem caminho,
quem os enxerga como são,
estão acostumados a viver nas sombras,
a vestir a pele que não lhes pertence,
fingindo ser o que nunca serão,
sendo este câncer que foge da exposição
por ter a cura facilitada e apressada
diante de uma alma correta,
de caráter justo e persistente.

Não se engane,
os amorais estão entre nós,
rindo, vertendo lágrimas fabricadas
pela cupidez e a perfídia,
são alheios as leis e subvertem sempre
a verdade e o bom senso,
são seres nocivos a sociedade e ao bem comum,
porque sabem fingir como ninguém,
envolvendo muitas vezes quem não compartilha
da sua natureza vil,
mas não lhe opõe resistência.

São estes seres estranhos
a causa principal de tantos crimes
e da corrupção latente
que incomoda e divide,
perturba e tenta manchar,
atentando contra tudo o que é belo e puro,
perfeito e correto,
verdadeiro e justo.